Idoso empreendedor

Chegou a sua aposentadoria. O que fazer?

Chegar à aposentadoria não representa o fim da vida!

O começo da aposentadoria se parece com os primeiros dias daquelas tão aguardadas férias: sem compromisso de horário para levantar e podendo fazer tudo com calma na hora e no ritmo que quiser. Mas, quando isso se repete por vários dias, semanas e até meses, cuidado! A sensação de falta de propósito na vida pode levar à depressão ou vícios, como o alcoolismo e o tabagismo.

Parece bom demais gozar a vida e a possibilidade de nunca mais ter horários e compromissos, por mais atraente que possa parecer, mas o que o aposentado mais necessita é um jeito de colocar alguma estrutura em seus dias.

PERGUNTAS CHAVES PARA IDOSO EMPREENDEDOR

  • Você já se perguntou sobre o que fazer na sua aposentadoria?
  • Você está entre as pessoas que têm medo de encarar esse momento e fogem de decisões até simples, mas que são importantes, para aproveitar bem essa nova fase da vida?
  • Você considera o empreendedorismo na terceira idade algo arriscado?
  • Você sente-se animado em abrir sua própria empresa?
  • Você já pensou nas vantagens e desvantagens de começar seu próprio negócio com mais de 60 anos?
  • Mas será que vale a pena mesmo abrir um negócio depois de aposentado?
  • Muito bonito na teoria, mas e na prática, será que é assim mesmo?

RESPOSTAS DAS PERGUNTAS CHAVES PARA IDOSO EMPREENDEDOR

Uma das pesquisas realizadas no ano de 2013 mostrou que 53% dos aposentados querem voltar à ativa, seja de forma remunerada ou voluntária. Geralmente existem duas grandes razões para as pessoas quererem trabalhar após a aposentadoria: por oportunidade, para realizar um sonho e se sentirem ativas e úteis de forma; por necessidade de complementação da renda familiar e falta de uma reserva financeira.

Em 2007 esse percentual era de 4,9% em 2015 8,4% dos empreendedores iniciais tinham entre 55 e 64 anos: em 8 anos houve um aumento de 70% de empreendedores iniciais com mais de 55 anos.

É compreensível: com tanto vigor e disposição, cada vez mais os idosos estão buscando realizações de sonhos que acabaram ficando para trás ao longo da vida. Portanto, empreender na terceira idade passa a ser uma escolha natural.

A experiência conta como um dos fatores de sucesso do empreendedorismo na terceira idade. Ainda por cima podem competir com pessoas bem mais jovens e recém-saídas de boas faculdades e escolas. Institutos de pesquisa indicam que uma das grandes vantagens do empreendedor com mais de 60 anos é a chamada competência da terceira idade.

Por ter uma longa carreira profissional, o empreendedor da terceira idade já acumulou e refinou bastante seu conhecimento durante vários anos de trabalho, formando uma sólida base para a sua tomada de decisões e comportamentos.

Além do conhecimento adquirido, profissionais experientes sabem aplicar o conhecimento que possuem, gerando resultados concretos. É a aplicação prática do saber. Essa vivência de diferentes realidades é uma vantagem competitiva pessoal muito forte.

É o agir de forma adequada, para atingir os resultados desejados. Ora, quem resolve abrir seu próprio negócio na terceira idade com certeza está cheio de vontade de querer fazer.

Os requisitos da terceira idade são tão valorizados que muitos empreendedores mais jovens acabam tendo como sócio um executivo com mais experiência ou, no mínimo, contratando uma mentoria de um profissional sênior.

Não por acaso, muitos investidores-anjos de empresas startups são executivos que encerraram uma carreira profissional corporativa e migraram para o empreendedorismo, contribuindo financeiramente e como mentores dos novos negócios.

EXISTE IDADE PARA IDOSO EMPREENDER?

No Brasil, diversos dados estatísticos informam que 10% dos negócios criados em 2014 eram de empreendedores com 55 anos ou mais. Hoje já são 650 mil idosos atuando estrategicamente. E não é em jogos de dominó ou cartas. Cada vez mais trabalhadores deixam de lado a aposentadoria para abrir seu próprio negócio.

Lembre-se que o importante é planejar. A experiência de anos de trabalho não significa ter sucesso no novo negócio.

POR ONDE COMEÇAR?

Há muitos caminhos.

Se você trabalhou trinta anos no ramo de materiais de decoração, ou em bancos, ou ainda no comércio ou como funcionário público, cansou e resolve abrir o próprio negócio, pode ser um novo alento para a vida, pois nem sempre os rendimentos da aposentadoria são adequados para viver, ter o conforto e a qualidade de vida, e a saúde ainda possibilita continuar trabalhando.

PASSOS

CRIAR UM PLANO

O que fazer nos próximos dois, cinco, dez anos ou vinte anos. Para entrar nesta nova fase da vida você precisará de novos objetivos e de um novo conjunto de rotinas gratificantes e produtivas. É comum ver pessoas que param de trabalhar para assumir uma vida de passividade frente à televisão, com grandes períodos de sono durante o dia e uma tendência a se exceder na comida. Orientações e consultorias estão disponíveis no Brasil gratuitamente.

ESTUDAR

Estudar. Isso mesmo! Aprender e reaprender. Adquirir novos conhecimentos que há dez, vinte, trinta ou cinquenta anos não existiam, como: computação- entender de internet.

Com tempo disponível os idosos estão mais abertos agora para pesquisas e estudos e com isso fazendo com que seu sonho de empreender seja realizado. Como são pacientes e sabem escutar, os ensinamentos são absorvidos da melhor maneira possível.  Contudo, existem aqueles que ainda acreditam que as velhas formas ainda dão certo. Podem até dar, mas qual é o diferencial que sua empresa oferecerá para os clientes? Pensando nisso muitas empresas possuem cursos para abrir a mente daqueles que gostariam de modernizar o negócio.

ORGANIZAR-SE FÍSICA E EMOCIONALMENTE

Organizar-se física e emocionalmente será o maior diferencial para o idoso empreender. Afinal as reações após o cinquenta, sessenta, setenta anos são bem diferentes da época que tinham vinte ou trinta anos. Suportar pressão será a nova realidade diária.

Pesquisas demonstram que a terceira idade é citada por especialistas como o momento ideal para cuidar mais de si mesmo, pois seus filhos normalmente já estão adultos e independentes financeiramente e assim você pode planejar melhor seu tempo e investimentos; com o passar dos anos, a evolução da medicina e dos tratamentos médicos tem aumentado nosso tempo de vida, permitindo chegar com mais saúde e disposição à aposentadoria.

Academias, alimentos, vacinações, higiene contribuem para que a saúde física melhore. Consequentemente tratar das emoções será obtido com maior sucesso. E a pergunta “o que vou fazer durante o dia?” pode transformar em verdadeiros estimulantes para empreender.

QUALIFICAÇÃO

É evidente e notório o que a falta de políticas e programas de apoio governamental ao empreendedorismo na terceira idade quando comparados com o empreendedorismo voltado para os jovens – programas como pró jovem trabalhador do ministério do trabalho e o programa jovem empreendedor facilitam, e muito, a entrada no mercado.

SETORES DOS NOVOS EMPREENDEDORES DA TERCEIRA IDADE

Com o avanço da idade em todo mundo, vários relatórios podem ser consultados para obter informações de quais ramos os idosos preferem: quase 40% estão relacionados com a área de alimentação, 20% ao comercio varejista e 15% com atividades do ramo imobiliário e, em menores percentuais, saúde do público idoso e tecnologia.

O próprio idoso no momento de escolher seu novo trabalho, agora como empresário, lembrará que costumes e hábitos nesta faixa etária são semelhantes, pois gostam de manter tradições e evitam ambientes barulhentos. Sabedores disso, idosos buscarão alinhar seu ramo de atividade aos produtos atrativos, boas ofertas, em lugares calmos e preços mais baixos possíveis, visto que uma boa parte deles ainda são responsáveis pelo sustento da família e continuar trabalhando, no seu próprio negócio, une a necessidade momentânea e o prazer e ter o que é seu.

Ser especialista em empreendedorismo ou já ter o sucesso para realizar um novo negócio depende, entre outras coisas, do grau de inovação ou de quão necessário é o serviço ou produto, contudo a criatividade mais vale para a sociedade, e muitas vezes a necessidade está à sua frente.

Marco Imperador criou a rede de franquias Home Angels com seu sócio em 2009 e já tem mais de 167 unidades em São Paulo. A ideia de criar a Home Angels partiu de uma necessidade pessoal de Imperador. “Em 2007, minha avó de 93 anos foi morar com meus pais no interior de São Paulo. Isso mexeu com a rotina da família inteira. Fiquei preocupado em como meus pais iriam fazer para cuidar da minha avó, então comecei a procurar por cuidadores que pudessem ajudar neste trabalho. Foi muito difícil. Tive muitos problemas com os profissionais que eu encontrei, até de ações trabalhistas. Era complicado demais monitorar a rotina deles com a minha avó.”

Relata a história de Eduardo Figueiredo, que encerrou sua carreira de executivo como presidente de uma empresa aos 60 anos. Como não queria parar de trabalhar, resolveu investir suas economias e sua experiência criando um negócio inovador em tecnologia.  Sua empresa, a Orbys, produz nano compostos utilizados para melhorar o desempenho mecânico e químico de peças industriais.

Nas palavras de Eduardo: “Existem pessoas que preferem correr riscos à inatividade, que não se contentam em aplicar o dinheiro e ficar em casa.”

E você já decidiu qual setor irá empreender?  

Saúde

Dr Sergio Munhoz

Idoso empreendedor: Ramos de atividades

 

Chegar à aposentadoria obviamente não representa o fim da vida.  Haverá muito o que fazer, mesmo após 30, 40 ou 50 anos de ininterrupto trabalho diário, já que a mente continua ativa (nem sempre o corpo).

No início tem-se um merecido descanso para um completo bem-estar, sem horário para levantar, podendo fazer tudo com calma, na hora e no ritmo que quiser, entretanto, chegará um momento após dias ou quem sabe meses que a rotina deverá ser modificada, visto que a sensação de falta de propósito na vida pode levar à depressão, vícios ou propiciar doenças físicas.

As perguntas poderão ser as mais variadas mesmo após décadas de experiências acumuladas, mas por onde começar? Quais são os melhores caminhos? Será que minha experiência num ramo de atividade deverá ser a melhor opção? Ou mudar radicalmente? Será que um investimento pequeno? O retorno é rápido? Afinal, o tempo agora é fator importantíssimo.

No Brasil muitos idosos empreendedores passaram dos 55 anos e cada dia mais e mais entram no mercado do empreendedorismo. Até ano 2020 serão quase um milhão de empreendedores idosos. O número pode até parecer gigante, mas num país com quase 30 milhões de idosos, ainda há muito espaço neste imenso universo.

Assim como na época que entramos no mercado de trabalho, precisamos nos preparar: antes seria um curso de datilografia, de português e redação; hoje também será necessário aprender algumas áreas, especialmente de informática. E cursos não faltam! Planejar, estudar, atualizar são palavras fundamentais, já que a sua experiência de anos de trabalho não significa ter sucesso no novo negócio.

As áreas ou ramos de atividades estão entre as mais variadas. Algumas mais, outras menos procuradas.

SÁUDE E BEM ESTAR

Aposentados e preocupados com a parte física de seus corpos que o envelhecimento começa a produzir, os idosos agora possuem tempo para irem às academias de ginástica, aos Spas, aos clubes de dança de salão ou mesmo fisioterapia. O interessante é que, além de serem consumidores neste ramo, muitos aposentados se uniram aos filhos, genros, noras, netos, para “montarem” juntos um empreendimento deste setor, e sabidamente será um sucesso.

FRANQUIAS

As franquias crescem como investimento em todo o mundo, e no Brasil não é diferente. Aposentados investem suas economias em diversas atividades de franquias pois já existe uma linha de atuação, objetivos e metas estipulados e menos trabalho pois para montar é bem mais rápido. Setores da alimentação, vestuário, transporte, saúde, beleza e bem-estar, higiene e limpeza são disponíveis no país em grande quantidade.

Interessante que o idoso irá partir para realização de um sonho, um negócio, que desejou há décadas, muitas vezes, durante toda sua vida. Quando jovens almejavam ter uma padaria, mas foram trabalhar em bancos; outros trabalharam na área administrativa, e escolhem franquias do ramo do vestuário; tem ainda, aqueles que foram propagandistas e hoje desejam o ramo de restauração de carros em oficinas.

O importante é sempre lembrar que para um negócio funcionar bem você precisará habilitar-se nele.

Uma pesquisa internacional mostra que o Brasil, neste ramo de franqueados, está rapidamente compreendendo esta forma dinâmica de empreendimento. A experiência da vida ensinou muitos atalhos e caminhos para se chegar onde chegaram.

TURISMO E LAZER

Idosos não apenas consomem em planos de viagens e passeios, mas muitos estruturam-se pequenos, médios ou grandes empreendimentos, para, agora, fornecerem pacotes de passeios e programas de viagens para o público da sua própria idade.

Pousadas, chalés ou mesmo sua própria casa servirão de local para acolhimento. O que é mais interessante é que estes empreendedores da terceira idade fazem cursos rápidos de como ser guia de turístico.

Importante salientar que ao mesmo tempo são patrão, guia e público, pois, a cada programação realizada, surgem novas amizades, novas aventuras e um grande aprendizado.

FLORICULTURA OU PET SHOP

Manter uma floricultura ou um pet shop poderá ser uma excelente opção para indivíduos da terceira idade que amam plantas e animais domésticos.

Muitos possuem terrenos, chácaras ou sítios  que estão sem utilização. Saíram da zona rural e agora moram na cidade.

Um curso rápido e teórico, muitas vezes grátis na internet será um grande começo desta cheirosa e alegre empresa.

SALÃO DE CABELOS

Tem aquele idoso que trabalhou décadas como mecânico de automóvel, mas agora com aposentadoria, abriu seu salão de cabelos ou uma barbearia.

Ele ficava fascinado, ou ela adorava ir ao salão de beleza. As amigas, as conversas, a distração. Montam seu negócio bem rapidamente.

MATERIAL DE CONSTRUÇÃO

Em um país onde o déficit de moradia é ainda muito elevado, idosos com vontade de construir estão aos poucos entrando no ramo de material de construção. Começam com pequeno ambiente, espaço nem sempre adequado, vendendo miudezas, como: pregos, ferramentas, material elétrico. Posteriormente ampliam o espaço e fazem aquisição de material pesado, tais como tijolos, areia, janelas, portas e cimento, para finalmente adquirirem maior espaço e comprarem material de acabamento, azulejo, utensílios sanitários, pisos.

Financiamento do governo federal como incentivo à casa própria propicia este investimento.

ÁGUA DE COCO

Naquele ambiente de sol, praia e sede, uma água de coco geladinha fará você se sentir mais saudável. É muito comum nas regiões do nordeste brasileiro idosos mudarem de suas pequenas cidades dos interiores para as capitais. Uma atividade calma e pouco estressante é a venda de água de coco em barracas.

Com pequeno investimento em máquinas é possível conseguir boa renda e muitas amizades.

LANCHONETE

Se o idoso não tem capital para abrir um restaurante ele inicia com uma pequena lanchonete. Foi assim o início dos grandes restaurantes ou refeições.

Sanduíches, sucos, refrigerantes, doces. Com pouca qualificação é possível manter-se bem. A atenção será no quesito higiene, onde a vigilância sanitária é muito vezes intensa.

EDUCAÇÃO

Depois das décadas 80 e 90 o Brasil perdeu o que havia de melhor da saúde pública: professores qualificados e a dedicação devido aos baixos salários e escasso material de trabalho.

Muitos professores, ao se aposentarem, viram neste ramo um aliado importante, pois, com décadas de experiência e cumprindo exigências das leis, abriram escolas de idiomas, escolas de educação infantil, escola de primeiro e segundo grau e especialmente escolas preparatórias para vestibular, os famosos cursinhos.

Inicialmente professores entraram como sócios e posteriormente alguns ficaram sozinhos.

Mas se você ainda não se animou e sente que a idade está muito avançada, veja estes exemplos, garanto que irá pensar melhor.

 

EMPREENDEDORES DA TERCEIRA IDADE

Coronel Sanders – KFC

Nascido em uma comunidade rural no sul dos Estados Unidos, Harland David Sanders, conhecido como Coronel Sanders,o criador da rede de lanchonetes KFC (Kentucky Fried Chicken) – e de sua famosa receita de frango frito – fechou o seu primeiro contrato de franquia em 1952, já com 62 anos. Como rosto estampado em toda a comunicação da marca, o Coronel Sanders deixou como legado uma operação que reúne 20 mil lojas pelo mundo.

Mommy Choi – Mommy Sauce

A Mommy Sauce nasceu do amor pela cozinha e pela família. Encorajada pelo filho, um renomado chef, a sul-coreana Mommy construiu sua empresa por conta própria, vendendo receitas secretas de molho para o restante do mundo. Mommy começou seu negócio em 2015, quando tinha 71 anos.

Charles Flint – IBM

Depois de participar da formação de diversos conglomerados americanos, o empresário formou a holding Computing-Tabulating-Recording Company em 1911, aos 61 anos — grupo que daria origem à IBM nos anos seguintes. Flint permaneceu no conselho de administração da empresa até 1930, quando se aposentou, aos 80 anos.

Roberto Marinho – TV Globo

Fundou a TV Globo aos 61 anos, que hoje é assistida por mais de 200 milhões de pessoas diariamente, sejam elas no Brasil ou no exterior. A emissora é a segunda maior rede de televisão comercial do mundo, atrás apenas da norte-americana ABC.

Jaswant Kular – Jaswant’s Kitchen

Jaswant queria uma maneira fácil de ensinar às filhas a arte da tradicional culinária indiana. Por isso, procurou pelos ingredientes, mas descobriu que muitos continham conservantes, corantes ou aromatizantes, entre outros produtos químicos, além de muita gordura. Aos 60 anos, começou a preparar misturas de especiarias para amigos, familiares e clientes de sua empresa de nutrição. Motivada pela reação positiva, participou de uma feira de alimentos, onde vendeu toda a produção que tinha levado.

O negócio, dirigido por Jaswant e suas três filhas, foi transferido para a Shopify em 2013, e os produtos estão agora disponíveis em mais de 100 lojas.

Enquanto criava sua família, Jaswant passou muitas horas na cozinha, o que a ajudou a sofisticar as receitas. No entanto, atribui seu sucesso como empreendedora à experiência de vida:

“Eu desempenhei muitos papéis na minha vida antes de abrir essa empresa: professora universitária, dona de casa, mãe de quatro filhos, gerente de negócios, corretora de imóveis, voluntária, educadora comunitária e nutricionista. Além disso, lidei com muitas situações de vida que testaram minha capacidade de manter a paciência, trabalhar longas horas, fazer várias tarefas ao mesmo tempo, aprender novas habilidades, lidar com pessoas difíceis e permanecer equilibrada, feliz e saudável. Quando penso no passado, eu me sinto muito feliz com a minha jornada e o resultado final. Eu acho que eu não iria conseguir ter esse tipo de negócio de jeito nenhum quando eu era mais nova. Eu não era nem mesmo uma boa cozinheira. Eu não sabia do que o mundo ao meu redor precisava, ou que eu poderia fazer a diferença. Eu tive que acumular toda essa experiência ao longo desses anos para chegar onde estou hoje.”

Eu realmente acho que a idade é só um número. Se alguém tem saúde física e mental, a idade não deve ser um obstáculo para começar alguma coisa nova.

Que conselho ela daria aos futuros empreendedores com mais de 50 anos?

“Meu conselho para outras pessoas na faixa dos cinquenta é não ter medo. Você está prestes a viver o melhor momento da sua vida. Não há mais preocupação em cuidar dos filhos. Finalmente chegou sua vez de viver sua vida do jeito que você quiser. É muito trabalho, mas a recompensa também é muito maior”.

 

E você o que está esperando?

Mãos à obra!

Dr Sergio Munhoz

Os Desafio de Cuidar de Idosos em Casa

 

Desafios de se cuidar de um idoso em casa

Cuidar de idosos em casa é um grande desafio para milhares de brasileiros.

Hoje, nosso país passa por um processo de envelhecimento populacional e, por conseguinte, um significativo crescimento na quantidade de pessoas com idade acima de 60 anos.

 

E as dificuldades geradas por estas modificações no espectro populacional acabarão por recair, em maior parte, sobre os filhos, sobrinhos, netos e familiares mais jovens que deverão estar preparados para lidar com os possíveis obstáculos que se apresentam diariamente na vida de quem tem em casa um parente ou amigo idoso que necessita de auxílio e atenção especiais.

 

Hoje, o número de idosos no Brasil é de quase 15% da população. O que, no universo de 210 milhões de habitantes do país, representa um número aproximado de 30 milhões de pessoas. No entanto, muito pouco se fala e se procura conscientizar acerca das responsabilidades e adversidades geradas pela chegada de uma idade avançada e sobre a forma adequada de contornar os obstáculos e proporcionar a essas mulheres e homens o conforto e apoio que precisam para poderem experienciar com dignidade uma das fases mais desafiadoras da vida.

 

Quem viveu décadas passadas, especialmente no período pós-guerra, sabe que ter um pai ou avô idoso era uma raridade. Motivo de curiosidade, de especulação, visto que, nas

décadas 40-50 a expectativa de vida no Brasil era de 45 anos. Isso mesmo!

Assim, idosos eram muito poucos. Raros!

O que aconteceu foi que nestes últimos 60, 70 anos a qualidade de vida melhorou, e

a expectativa de vida quase duplicou. Hoje em alguns estados do Brasil, por exemplo, Santa Catarina, a expectativa está em 80 anos.

 

Mas afinal o que é, e como é cuidar de idosos em casa?

Um idoso é um indivíduo que vem passando, gradativamente, pelo processo de envelhecimento. Invariavelmente, todos que envelhecem apresentam certos graus e características da senectude.

Enquanto, para alguns idosos a simples ação de ir ao banheiro se torna um desafio, seja pela mobilidade limitada ou por problemas de incontinência urinária e até mesmo desidratação; outros correm maratonas tranquilamente.


Algumas dessas características são:

Visão e a audição podem estar diminuídas. Portanto, cuidado deverá ser redobrado. Faz

se mister uso de óculos ou cirurgia para retirar a catarata. E, após exame de audiometria, utilizar um aparelho para amplificar o som.

Os cabelos podem estar rarefeitos ou terem caído, nos homens.

 

Se a alimentação e a higiene oral ao longo da vida tenham sido adequadas, os dentes podem estar preservados. Mas é relativamente incomum, visto que no passado dentistas eram mais raros, bem como a própria preocupação e cuidados com a saúde bucal. Assim, alguns idosos fazem uso de prótese ou, se em melhores condições, implantes dentários.

 

Nessa fase, o sono está mais curto, têm menos horas de sono: em média de 4 a 5 horas por dia. E, em casos mais extremos, esse número pode girar em torno de 2 a 3 horas.

 

A memória recente pode apresentar falhas.

O coração pode estar crescido devido à hipertensão arterial ou mesmo apresentar

arritmias, o que pode exigir a utilização de marca-passo.

 

Os pulmões muitas vezes estão carregados de secreções (dependendo dos hábitos cultivados ao longo da vida e experiências em ambientes insalubres). Tosses, bronquites e pneumonias podem ser frequentes. E, na realidade, uma das principais causas de internação hospitalar de idosos é a pneumonia.

 

O estômago pode apresentar gastrite ou úlceras, especialmente se fizerem consumo frequente de bebida alcoólica e de alimentos muito condimentados ou excessivamente quentes.

 

Os intestinos podem estar mais “soltos” ou mais “presos”, o que pode causar um grande desconforto diário.

 

Já o fígado, a vesícula biliar e o pâncreas podem estar com dificuldades em processar a digestão.

 

A bexiga pode ter perdido sua elasticidade e a incontinência pode se instalar. O que acomete mais recorrentemente as  mulheres, especialmente aquelas que tiveram muitos filhos através de parto natural.

 

A coluna cervical, torácica ou lombar pode estar comprometida. Artrose, osteoporose, protusão ou hérnia discal estão presentes.

 

Os ombros, os quadris, os joelhos e tornozelos podem apresentar-se mais limitados pelas osteoartroses degenerativas.

Enfim, uma quantidade de alterações, leves, moderadas ou mesmo intensas que

deverão ser conhecidas daquele que está diariamente cuidando de um idoso em casa.

 

Estes são os aspectos que cercam o dia-a-dia de um idoso.

Agora, como então será cuidar deles?

Veja algumas dicas simples para o dia a dia de um idoso feliz.

 

1) COMPANHIA

 

Cuidar de um idoso em casa é também fazer companhia

Alguns idosos precisam de alguém para sentir se bem. Para ficarem tranquilos. Para poderem conversar.

Quando o idoso sente a presença de outra pessoa, geralmente mais nova, com quem pode compartilhar sua rotina, a solidão, a raiva, a angústia e a depressão tendem a ser minimizadas.

 

2) MEDICAMENTOS

 

Cuidar de idoso em casa é ser responsável ao dar os remédios (quando ele não

consegue administrar sozinho) no seu dia a dia, de acordo com a prescrição médica.

Sabemos pelas estatísticas do IBGE e do Ministério da Saúde, que em geral pessoas que

estão com idade acima de 60 anos utilizam no mínimo um medicamento diariamente.

 

Um dado interessante e que nos ajuda a entender esse número alto de medicamentos é que 25% da população brasileira tem pressão alta, 8% são diabéticos e 5% possuem artrite reumatóide.

 

3) TAREFAS DOMÉSTICAS

 

Cuidar de idoso em casa é poder auxiliá-lo também nas tarefas domésticas.

Hoje em dia, muitos idosos na faixa etária de 60 a 80 anos estão em ótimo condicionamento físico-mental. Uma maravilha, pois não dependem de ninguém! Cuidam sozinhos das suas tarefas diárias; vão a bancos; deslocam-se à farmácia, fazem feiras ou compras em supermercados.

 

Mas uma outra parte dos idosos brasileiros nesta mesma faixa etária tem problemas de saúde. Em alguns casos, leves, como a osteoartrose degenerativa; outros, moderados, como uma diabetes mellitus, e outra parcela tem problemas mais graves, com grandes limitações, como demências, sequelas de acidente vascular cerebral, e até amputações decorrentes de má circulação. Vale lembrar que estas limitações também são de ordem psíquica, mental.

 

4) HIGIENE PESSOAL

 

Cuidar de idosos em casa é auxiliá-los em sua higiene pessoal. Se muitos destes

idosos apresentam limitações físico-mentais, este se torna um importante auxílio

 

ESCOVAR OS DENTES

 

Este auxílio começa desde o simples ato de escovar os dentes, quando o idoso os tem, ou sua prótese, que deverá ser trocada semestralmente, visto que o processo de envelhecimento em toda face produz, além da reabsorção óssea, hipotrofia ou atrofia dos músculos.

 

BANHO

 

Na fase do envelhecimento ocorrerá diminuição dos músculos, e mesmo com aumento do tecido gorduroso, muitos idosos sentem frio, e não querem tomar banhos diariamente.
É preciso insistir e ter muita paciência. Quando fazem suas necessidades é necessário que se lavem, ou melhor, tomem banho de corpo inteiro, pois restos dos dejetos nas unhas e na pele, poderão ser deslocados para o rosto e acarretar infecções nos olhos, ouvidos,  boca ou mesmo na própria pele.

Um idoso acamado e que já não consegue controlar suas necessidades básicas,

demanda um trabalho diferente do idoso que faz tudo, mas este também pode, por vezes, apresentar confusão e se perder na volta para casa.

 

Tonturas, risco de quedas, uso de bengalas, falta de ar para caminhar, falta de

orientação, são exemplos de restrições comuns nestes casos.

 

5) ALIMENTAÇÃO

 

Cuidar de idosos em casa é também preparar e servir as

refeições adequadamente. Horários pré-estabelecidos; quantidades e volumes também

compatíveis com a idade.

 

Se fizermos uma comparação com crianças, veremos que os idosos devem fazer mudanças alimentares periodicamente e lentamente. Veja este exemplo:

 

Eu trabalho em hospitais há 32 anos e vejo, todo dia, toda semana, todo mês, todo

ano, uma enormidade de idosos com problemas alimentares. Desde casos leves até grave desnutrição, o que nos mostra que o cuidador, ou cuidadores, não estão atendendo da forma adequada às suas necessidades nutricionais.

 

Vejo e atendo idosos com excesso de peso, alguns com diarreias e, mais

comumente, com grau de prisão intestinal, constipação ou obstipação; frutos de má alimentação – biscoitos, bolachas, doces…

 

Triste ver que, com grande frequência, estes pacientes são submetidos à anestesia

para lavarem seus intestinos e liberarem fezes acumuladas há uma semana ou mais. Que

desconforto!

 

Finalmente as orientações para cuidar dos idosos em casa são manter contato com

toda a família e avisá-los se algo acontecer.

 

Concluo dizendo que cuidar de idosos em casa é auxiliá-los no que for necessário,

e não mantê-los em total dependência, seja física ou mental. Experiências de pacientes e

cuidadores podem mostrar que alguém com a doença de Alzheimer, por exemplo, pode ensinar muito às pessoas a seu redor, mesmo com todas as limitações.

 

Em meio a episódios de agitação, você, cuidador, ao falar sobre um time

que ganhou um jogo ou um campeonato, ou um cantor que compôs uma música que outrora gostava, pode ajudar a fazer a crise desaparecer.

 

Ah! Saiba que se você não estiver bem, não terá condições de cuidar nem de você e de ninguém, e todos perdem.

 

Por isso, é importante cuidar também da sua saúde e lembrar-se de sorrir sempre!

 

Saúde!

 

Forte abraço,

Dr Sergio Munhoz

Page 1 of 912345...Próximo »