Exercícios Funcionais – O que são e sua importância

Compartilhar com:


Você está na melhor idade ou ajuda no cuidado de alguém que está? Falaremos sobre como os exercícios funcionais são bem-vindos em sua rotina. Se sua perda auditiva e visual o prejudicam no relacionamento interpessoal e aumentam o sentimento de vulnerabilidade, mesmo assim podes praticá-los.

Com a lentificação que a idade impõe, são comuns desequilíbrio, fraqueza muscular, ambiente desfavorável, estilo de vida sedentário, permanecer acamado e com dores ou deformidades dos pés, ou sofrer quedas: mesmo assim, ainda podes praticar os exercícios funcionais.

Com a presença de incontinência urinária o idoso diminuirá suas saídas de casa e perderá oportunidades para atividades sociais: aqui, também, os exercícios funcionais são bem-vindos.

Conforme envelhecemos, a preguiça, o desânimo e o cansaço aumentam, diminuindo a vontade de fazermos exercícios. Quem trabalhou mais de trinta anos numa metalúrgica, num escritório de contabilidade, num banco, de vendedor numa loja de sapatos ou roupas, ou quem sabe um profissional liberal, engenheiro, advogado, psicólogo, fonoaudiólogo, enfermeiro ou medico, sabe o que estou falando.

As suas costas doem, e não fazes exercícios nenhum!

A coluna cervical, então, coitada: sofrida! A lombar e a sacral: misericórdia! Mal consegue caminhar, correr. A barriga aumentou. Isso além de possíveis lesões presentes: tendinites, bursites, artroses, artrites, osteoporose, calcificações do tendão de Aquiles, a lista é grande! Mas você pode dizer: não gosto de academia, não tenho condições de investimento.

Agora as informações que você terá são os chamados exercícios funcionais. Os exercícios funcionais são muitos e podem ser classificados de diversas formas. Tais quais exercícios específicos para reabilitações de lesões, há treinamentos funcionais para o auxílio de perda de peso, para melhora do condicionamento físico, incluindo itens como a estabilidade, a coordenação motora e muito mais. Portanto, não é qualquer exercício que terá uma funcionalidade para você.

O treinamento funcional se baseia nos movimentos naturais do ser humano, como pular, correr, puxar, agachar, girar e empurrar. O praticante ganha força, equilíbrio, flexibilidade, condicionamento, resistência e agilidade.

Na velhice ocorre diminuição da capacidade funcional, do coração e dos pulmões e principalmente das funções físicas, do sistema osteomuscular, neuromuscular. Temos como objetivo reintegrar pessoas para o cotidiano mais saudável. Lembramos sempre que a musculação, a corrida, o ciclismo, a natação e o Pilates possuem características funcionais.

O treinamento funcional para os idosos pode ser feito de diversas maneiras: com cordas, livros, cadeiras, cabo de vassoura, elásticos, roupas, escadas. As atividades devem ser mais parecidas com as do dia a dia. Por esse motivo utilizam-se objetos de dentro de nossos lares.

Os exercícios funcionais ajudam nos seguintes objetivos:

  • Prevenção de quedas e melhora no equilíbrio

A prevenção para quedas e melhorar o equilíbrio tornam-se fundamental. Estes exercícios podem ser realizados em bases instáveis ou que levem o idoso a experimental um pouco de instabilidade. Temos exercícios com elevação de uma perna ou flexão do quadril de um lado em pé. Importante frisar que devem ser realizados em cima de colchões ou colchonetes.

  • Força muscular

Temos exercícios para força muscular dos membros superiores, como remar. Para o tronco, extensão, flexões, e rotações do tronco. Exercícios para membros inferiores como agachamento, sentar e levantar da cadeira.

  • Flexibilidade

Visando flexibilidade, os alongamentos são os preferenciais.

  • Coordenação motora

A realização dos exercícios desafia não só seu corpo, mas também sua mente, já que você realiza diversas atividades em sequências por tempo limitado. Dessa forma, esses treinos podem auxiliar no melhor condicionamento de sua coordenação motora.

Os benefícios atingem tanto o corpo quanto a mente. Para coordenação motora: exercícios realizados numa escada horizontal e com uso do chapéu chinês.

  • Sobrepeso e obesidade

  • Queima de calorias

A frequência do treino dos exercícios funcionais para emagrecer e tonificar pode intensificar ainda mais a queima de calorias em seu organismo.

É por isso que os exercícios funcionais para emagrecer e tonificar vêm se popularizando. Estes exercícios emagrecem muito mais rápido. A principal característica desse tipo de treinamento são os exercícios focados na necessidade de quem pratica. Assim, o indivíduo pratica diferentes sequências em cima de bases instáveis, como bolas, pranchas e bastões, e aciona os músculos e articulações de forma global, desenvolvendo coordenação motora, flexibilidade, agilidade, equilíbrio, força e aptidão cardiorrespiratória.

No próximo artigo, falaremos sobre os tipos de exercícios funcionais mais detalhadamente e como praticá-los.

Saúde!

Alimentos Funcionais – parte 2

Compartilhar com:


 

Continuaremos a falar sobre alimentos funcionais e seus benefícios. Para ler a parte 1, acesse Alimentos Funcionais – parte 1.

6- LICOPENO

Possui ação antioxidante; reduz níveis de colesterol, logo contribui para diminuir as terríveis complicações do elevado nível do mesmo, como infarto do coração, derrames e tromboses dos membros com amputação.

Estudos demonstraram que substâncias alimentares que apresentam níveis elevados de Licopeno podem reduzir o risco de certos tipos de câncer, como de próstata. No Brasil e no mundo os cânceres de próstata contribuem com 30% de todos os cânceres que podem acometer o sexo masculino.

Onde encontrar: Tomate e derivados, goiaba vermelha, pimentão vermelho, melancia.

7- LUTEÍNA E ZEAXANTINA

São antioxidantes; protegem contra degeneração macular (que ocorre em parte da retina e leva à perda progressiva da visão central). Ter uma visão saudável, livre de problemas, requer cuidados com os seus olhos. Além da higiene matinal, a diária – aqui as lágrimas (4 ml por dia) e o piscar (2 mil vezes por dia) fazem bem.

Onde encontrar: Folhas verdes (luteína). Pequi e milho (zeaxantina).

8- INDÓIS E ISOTIACIANATOS

Indutores de enzimas protetoras contra o câncer. Os estudos demonstram que muitos fatores do dia a dia podem produzir substâncias que propiciaram um número elevado de doenças malignas, como câncer. Uma das principais causas de morte de mulheres no mundo são os cânceres de mama, que correspondem a 30% de todos os canceres que podem acometer as mulheres.

Onde encontrar: Couve flor, repolho, brócolis, couve de Bruxelas, rabanete, mostarda.

9- FLAVONÓIDES

Atividade anticâncer. (Você reparou que todos estes alimentos funcionais possuem a capacidade de evitarem o câncer?)

Os alimentos ricos em flavonoides possuem ação vasodilatadora, que é importante, pois 25% das pessoas, no Brasil e no mundo, são portadores de pressão alta. E 10% possuem diabetes, com os vasos sanguíneos quase que “fechados”.

Mas ainda possuem uma ação anti-inflamatória, o que vai diminuir suas dores, e uma ação antioxidante, que irá melhorar o sangue tirando as impurezas, “as ferrugens dos vasos”.

Onde encontrar: Soja, frutas cítricas, tomate, pimentão, alcachofra, cereja.

10- PREBIÓTICOS- FRUTO-OLIGOSSACARÍDEOS, INULINA

Ativam a microflora intestinal, favorecendo o bom funcionamento do intestino – o que é de importância em uma sociedade que se acostumou aos enlatados, aos pré-cozidos ou prontos, muitas vezes sem nenhuma substância que poderia ajudar a flora intestinal.

Onde encontrar: Extraídos de vegetais como raiz de chicória e batata yacon.

11- SULFETOS ALILICOS (ALILSUFETOS)

Reduzem colesterol e pressão sanguínea. Além disso, melhoram o sistema imunológico e reduzem risco de câncer gástrico (terceiro câncer mais comum entre homens).

Onde encontrar: Alho e cebola.

12- LIGNANAS

Inibição de tumores hormônio-dependentes. Aqui temos cânceres de mama, da tireoide e da próstata, que aumentam de tamanho e agressão de acordo com os níveis de hormônio que deles dependem.

Onde encontrar: Linhaça, noz moscada.

13- TANINO

Para que servem?

Ação antioxidante, antisséptica e vasoconstritora. São três situações que nosso organismo mais sofre, e dos idosos, então! Pois já estão “cansando de funcionarem” A maçã é a fonte mais famosa. Limpa nossos corpos das impurezas dos micróbios que produziram pneumonia, amigdalite, otite, sinusite.

Onde encontrar: Maçã, sorgo, manjericão, manjerona, sálvia, caju, uva, caju, soja.

14  – ESTANÓIS E ESTERÓIS VEGETAIS

Reduzem risco de doenças cardiovasculares – a grande causa de mortes no mundo. Apesar do Brasil ser um dos maiores produtores e exportadores de soja do mundo, e sofrer intenso bombardeio de grandes indústrias, a soja constitui sabidamente um papel neste trágico problema mundial de mortes.

Onde encontrar: Extraídos de óleos vegetais como soja e de madeiras.

15- PROBIÓTICOS- BIFIDOBACTÉRIAS E LACTOBACILOS

Favorecem as funções gastrointestinais, reduzindo o risco de constipação e câncer de cólon. Quem nunca ouviu falar na Yakult? Se imaginarmos quando ingerimos nossa alimentação, um pão, uma fruta, arroz, feijão, a carne, e o produto final sendo transformados em fezes, é óbvio que sabemos da ação das bactérias intestinais. Infelizmente, a industrialização, a facilidade dos alimentos pré-fabricados, nos deixaram sem muita ação. Precisamos complementar.

Onde encontrar: Leites fermentados, Iogurtes e outros produtos lácteos fermentados.

16- FIBRAS SOLUVEIS E INSOLUVEIS

Reduzem o risco de câncer de cólon.

Novamente alimentos que melhoram o funcionamento intestinal. Uma alimentação rica em fibras solúveis e insolúveis é fundamental para o perfeito funcionamento intestinal, evitando as constipações, “intestinos presos”, “intestinos preguiçosos”, síndrome do cólon irritável. Os alimentos que possuem fibras solúveis podem ajudar no controle da glicemia e reduzindo o nível do açúcar do sangue.

Um dos grandes males hoje em dia são o sobrepeso e a obesidade. A obesidade não é apenas uma aparência da pessoa, mas classificada como doença. E as fibras estão diretamente relacionadas no tratamento da obesidade, pois dão maior saciedade.

Onde encontrar: Cereais integrais como aveia, centeio, cevada, farelo de trigo, leguminosas como soja, feijão, ervilha, etc.; hortaliças com talos e frutas com casca.

—–

O grande problema é que, para modificarmos nossa alimentação, especialmente quando adultos ou velhos, a dificuldade é maior.

Deixar de comer alimentos pré-fabricados e disponíveis em quaisquer supermercados será uma tarefa árdua e difícil.

Perceber que os alimentos funcionais foram exaustivamente estudados por engenheiros químicos, por nutricionistas, por médicos e profissionais, demonstrando quais são os componentes que apresentam, e a indicação de maior ou menor em necessidade da saúde deve ser o principal diferencial.

O programa Cuidar dos Pais em Casa vem ajudando ao papai, a mamãe, ao titio, a titia, seu vovô, sua vovó, seu sogro, sua sogra, e também a você e seus filhos, a começarem a usarem alimentos funcionais?

Saúde!

Alimentos Funcionais – parte 1

Compartilhar com:


 

O aumento do percentual de idosos na população geral é fato inquestionável desde as últimas décadas. Este fenômeno se deve especialmente ao incremento na expectativa de vida.  No Brasil, dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística indicam que a população de idosos dobrou nos últimos 20 anos. Certas conquistas tecnológicas da medicina moderna que ocorreram ao longo dos últimos setenta anos, como o desenvolvimento de novas vacinas, antibióticos, quimioterápicos e exames complementares de diagnóstico, além dos avanços na área da assepsia, favoreceram a adoção de medidas capazes de prevenir ou curar muitas doenças até então fatais.

Neste rol de avanços científicos a alimentação passou a ter uma atenção maior. Deixou de ser um ato quase que involuntário para a sobrevivência para ser estudada com maior carinho.

Assim, uma ciência nova foi criada, apenas para cuidar da análise qualitativa e quantitativa dos alimentos. Dentre eles estão os denominados alimentos funcionais. Mas o que são eles?

Alimentos funcionais são alimentos ou ingredientes que oferecem benefícios à saúde, além de suas funções nutricionais básicas. Eles podem, por exemplo, reduzir o risco de doenças crônicas degenerativas, como câncer e diabetes.

O interesse neles é relacionado à qualidade de vida, doenças genéticas, caráter familiar ou mesmo as alterações fisiológicas “normais” da velhice. Não podemos esquecer que cada dia com o envelhecimento e maior tempo de vida muitas doenças estarão presentes, dentre as quais o aumento da pressão arterial, a presença de diabetes, doenças como artrites, artroses, pessoas pós infarto do coração, amputação partes de seus membros, ou mesmo acidentes vasculares cerebrais.

A dúvida de muitas pessoas hoje em dia é o fato de pensarem que os alimentos funcionais funcionam como medicamentos. Não são substitutos para remédios!

Então, para que seus benefícios sejam alcançados, é preciso consumi-los de maneira regular, incluindo principalmente vegetais, frutas e cereais integrais na alimentação. Afinal, grande parte dos componentes ativos estudados se encontra nesses alimentos.

Para quem quer se beneficiar dos alimentos funcionais, é recomendado substituir parte do consumo de carne bovina, embutidos e outros produtos à base de carne vermelha, por soja e derivados, especialmente carne de soja e isolados proteicos de soja ou peixes ricos em ômega 3.

É preciso ter em mente um detalhe fundamental para o funcionamento eficaz dos alimentos funcionais: eles só funcionam quando combinados com uma dieta equilibrada e balanceada. Não adianta utilizar um alimento para controlar o colesterol, por exemplo, se ela não for combinada com uma dieta pobre em gordura saturada e colesterol.

Conheça os principais compostos funcionais investigados pela ciência, para que servem e em quais alimentos são encontrados:

1- ISOFLAVONAS

Para que servem?

Ação estrogênica- tem a capacidade de reduzirem os sintomas das menopausas- portanto muito útil para as mulheres acima dos 45 anos, em especial para as que sofrem com os períodos de intenso calor. Também as pesquisas dizem que em muitos casos de câncer poderiam ser evitados.

Onde encontrar: Soja e derivados.

2- PROTEÍNAS DE SOJA

Ajuda na redução dos níveis de colesterol.

Onde encontrar: Soja e derivados.

3- ÁCIDOS GRAXOS OMEGA 3

Ajudam na redução do LDL – colesterol.

Esta letrinha significa e faz parte do conjunto de óleos necessários para nossa vida. Os níveis dele não podem ultrapassar os valores recomendados.

Também apresentam uma resposta na ação anti-inflamatória. A partir de uma idade os processos degenerativos do corpo, o processo de envelhecimento e muitas doenças produzirão substâncias inflamatórias. Compostos contendo ácidos graxos e ômega 3 foram satisfatoriamente analisados e produziram resposta importante na inflamação. O resultado são menos dores no corpo.

Outra importante contribuição e indispensável é para o desenvolvimento do cérebro e da retina de recém-nascidos.

Onde encontrar: Peixes marinhos como sardinha, salmão, atum, anchova.

4- ÁCIDO a- LINOLÊNICO

Estimula o sistema imunológico.

As doenças degenerativas e especialmente os cânceres estão diretamente implicados na diminuição da atividade imunológica. As vacinas que tomamos quando crianças, e depois de adultos, precisam ser complementadas. Os alimentos que contém ácido a linolênico possuem capacidade de melhorar nossa imunidade.

Também tem ação anti-inflamatória e assim ajudam a diminuir as dores do corpo.

Onde encontrar: Óleos de linhaça, soja; nozes e amêndoas.

5- CATEQUINAS

Reduzem a incidência de certos tipos de câncer. Difícil afirmar se uma substância alimentar estará reduzindo este ou aquele tipo de câncer, mas o que está comprovado é que pessoas que passam a consumir substâncias que possuem catequinas terão menor possibilidade de terem câncer.

As catequinas também reduzem o colesterol.

Finalmente, alimentos que possuem altas concentrações de catequinas, estimulam o sistema imunológico e dão maior resistência ao organismo. Afinal, um corpo físico com 50, 60, 70 ou mais 80 anos, já sofreu muitos “embates” bacterianos, virais e fúngicos, e precisa continuar resistindo à esta batalha microbiana.

Onde encontrar: Chá verde, cerejas, amoras, framboesas, mirtilo, uva roxa, vinho tinto.

 

No próximo artigo continuaremos a falar sobre os alimentos funcionais e seus benefícios.

Saúde!

Cuidados essenciais de nutrição com pacientes acometidos pela doença de Alzheimer

Compartilhar com:


 

Quando somos bebês, a alimentação consiste em fator essencial. É cuidadosamente administrada pelas nossas mães: tipos, quantidades e horários deverão ser obedecidos, já que distorções destes poderão produzir intensas disfunções, passando pela desidratação e desnutrição.

Durante o nosso crescimento ocorrem mudanças importantes e adaptações. Quando envelhecemos, muitas são as alterações fisiológicas, como perda de dentes, disfunção no olfato, do paladar e rejeição a muitos alimentos, chegando a ocorrer em alguns idosos sérios graus de desnutrição, implantação de doenças graves e alguns quadros chegando a morte.

Em se tratando de doentes com doença de Alzheimer, o quadro alimentar é de fundamental importância a ser adaptado e deve ser seguido rigorosamente, pois o fato da diminuição ou perda total da memória dificulta aos doentes manterem o grau de nutrição adequado.

Tipos de alimentos

A boa nutrição é importante para a saúde geral e também para o funcionamento cerebral. Uma alimentação saudável é muito importante para o bem-estar, a disposição física e até para a cognição.

Ao contrário de algumas doenças, especialmente a hipertensão arterial sistêmica e diabete mellitus tipo 2, onde há restrição de alimentos, para o paciente com doença de Alzheimer não há restrição: apenas devem ser feitos ajustes, de forma individualizada, em doentes com grau mais avançado.

São, assim, comuns queixas envolvendo alteração no apetite e pode ocorrer perda de peso ou fome exagerada. A monitorização do cuidador e da família deverá ser seguida com atenção.

Verduras, legumes e frutas

As verduras são o que existe de melhor para uma alimentação saudável.
Delas se extraem vitaminas e sais minerais, e ainda servem como fibras para melhor digestão e funcionamento intestinal. Infelizmente, quando crianças alguns tem dificuldades para sua ingestão, e isso às vezes continua na idade adulta. Quando idosos, ocorre a diminuição do metabolismo, ou seja, da energia para o dia a dia, o que piora quando o doente fica sentado e acamado.

Há várias formas de fazer com que o idoso ingira adequadamente seu alimento, que pode ser na forma de caldos, sopas, cremes, bolos, etc.

Legumes também constituem importante grupo de alimentos para todas as pessoas. Cenouras, batatas, couve flor, brócolis deverão ser colocados na dieta daqueles com doença de Alzheimer. E o interessante é que são de diversas cores, o que possui significado para o paciente.

As frutas completam o quadro de alimentos essenciais na administração da dieta. Elas possuem açúcares naturais, indispensáveis para manutenção da energia do corpo, de sabores diversos, e quantidades adequadas de vitaminas.

Arroz, feijão, lentilha, grão de bico, aveia

Arroz e feijão são alimentos indispensáveis a quaisquer pessoas, especialmente nos costumes dos brasileiros. De modo geral, os grãos como lentilha, grão de bico e aveia devem fazer parte da dieta de doentes com Alzheimer.

Sempre administrado em quantidades adequadas e nos horários programados.

Temperatura

É importante o cuidador que, no momento da administração dos líquidos e dos alimentos, verifique a temperatura deles, já que alimentos muito frios poderão ser recusados, assim como os quentes poderão queimar a língua e consequentemente o doente pode ficar dias sem se alimentar.

Dica: utilize prato térmico para evitar que a comida fique fria enquanto o paciente está se alimentando, visto que o processo poderá ser lento e demorado.

Perda de Peso

Muito importante a observação em pacientes com doença de Alzheimer a perda de peso. Associada normalmente a três quesitos básicos: dificuldades cognitivas, físicas e alterações no apetite. Assim, deve-se acompanhar quinzenalmente o peso do paciente, seja quando sair para consultas médicas e odontológicas, compra de medicamentos, pesando-o ou comprando uma balança em sua casa. Sempre será mais difícil reverter um quadro de desnutrição do que fazer a prevenção da perda de peso.

Percebemos que mesmo no nosso dia a dia as pessoas não gostam de pesar-se, seja por “medo” de saberem quanto estão acima do peso ideal ou mesmo por não darem importância.

Em doentes com Alzheimer o cuidador, contratado ou familiar, deverá saber quanto está o peso. Encontrando valores 5% abaixo do peso anterior, a atenção deverá ser total, comunicando ao médico ou nutricionista para as adequações necessárias.

 

Dicas para evitar perda de apetite: Cores

Se quando nossos filhos são pequenos utilizamos várias cores para prender a atenção deles, nos doentes com Alzheimer são fundamentais. Pratos de cores azuis, colheres vermelhas, copos amarelos, lenços ou guardanapos com cor verde são muito empregado para estimular os pacientes. Quanto a alimentos, também deverão ter diversas cores. Naturalmente as frutas como laranjas, mangas, abacaxi e abacate, e legumes como cenoura, tomate e beterraba chamam a atenção para uma boa refeição.

Alimentos que possam ter contato com as mãos são mais fáceis de serem administrados e agradáveis.

 

Líquidos

Todo ser humano possui uma quantidade de água no seu organismo: de 60 a 65% do peso. Em recém-nascidos e bebês a quantidade é bem maior que em adolescentes, jovens, adultos e idosos. Em se tratando de idosos, a quantidade no corpo humano cai drasticamente, particularmente na mulher, e obesa, chegando a menos do 50% do peso.

Doentes com Alzheimer em sua maioria são pessoas acima de sessenta anos, do sexo feminino e que estão acima do peso, e com um fator agravante: com perda da memória e com dificuldades em manter-se hidratado.

Por isso, atenção máxima à ingestão de líquidos. Periodicamente, durante o dia, água, chás e sucos devem ser administrados.

Copos com cores variadas e numerados e marcados com quantidade em mililitros (ml) facilitam a totalização ao final do dia de quanto foi administrado. Em períodos mais quentes, deve-se aumentar a ingestão, mesmo com a recusa dos pacientes.

Afinal a diversificação será um fator estimulante para cuidar com esmero e dedicação do seu ente querido.

Forte abraço

Projeto cuidar dos pais em casa

Dr. Sergio Munhoz

 

Página 3 de 1212345...10...Próximo »