Alergia em idosos

 

Entre os problemas de saúde próprios da velhice, a alergia em idosos é um dos principais motivos da ida ao consultório médico ou ao posto de saúde, com impactos consideráveis sobre a qualidade de vida e ao bem-estar desses pacientes.

As reações alérgicas são reações de hipersensibilidade, respostas inadequadas do sistema imunológico a uma substância que normalmente é inofensiva. Geralmente as alergias causam olhos lacrimejantes e pruriginosos, corrimento nasal, prurido na pele, erupções cutâneas e alguns espirros. Entre 5% e 10% dos idosos têm algum tipo de alergia.

De acordo com a Associação Brasileira de Alergia e Imunologia, as três principais causas de alergias em pacientes com mais de 60 anos de idade a são a rinite alérgica, a asma e a tosse. Seguem as manifestações dermatológicas, o prurido, a urticária, alergia a medicamentos e dermatite de contato.

Os sintomas costumam ser sistêmicos e podem ser bem mais graves. Já o outro tipo é a alergia com reação tardia. Pode demorar de 48 horas a 72 horas para se manifestar. Os sintomas são mais leves e consistem em inflamação e coceira, em geral.

A seguir falaremos um pouco sobre algumas alergias respiratórias, dermatológicas e nos olhos, como funcionam os testes alérgicos, além de como medicamentos e alimentos podem influenciar e, por fim, formas de prevenção.

Continuar Lendo ...

Infecção urinária no idoso

 

A infecção urinária ocorre em todas as idades, desde crianças até idosos – passando por adolescentes, adultos e grávidas. Um em cada cinco idosos tem infecção urinária alta, ou seja, nos rins, e esse número dobra após os 80 anos.  Impedir que a contaminação atinja os rins é crucial para evitar um problema de saúde mais grave.

Abordaremos neste texto os tipos de infecção urinária, fatores de risco e causas, passando por diagnóstico, prevenção e tratamento e finalizando com perguntas frequentes sobre o assunto.

Continuar Lendo ...

Pneumonia no Idoso

 

A pneumonia é uma inflamação dos pulmões causada por agentes infecciosos, especialmente vírus e bactérias. É uma das principais causas de internação hospitalar e no Brasil, e representa a quarta causa de hospitalização em idosos.

Com o envelhecimento populacional, as doenças infecciosas aumentaram na população e a pneumonia é a mais preocupante pois pode causar quadro grave, levando à morte.

Neste texto abordaremos fatores de risco que aumentam a incidência dessa inflamação, além de como ela pode se apresentar em idosos de modo diferente, finalizando com tratamento e prevenção.

Continuar Lendo ...
cuidar dos pais em casa

Prevenção contra cânceres

 

Neste artigo falaremos sobre atitudes que devem ser tomadas visando a prevenção contra alguns dos tipos de câncer mais comuns na terceira idade.

Câncer de colo de útero

Prevenir-se de um dos tipos de cânceres mais comum no mundo e no Brasil, como o câncer de colo do útero, é fundamental. Comprovadamente este tumor está intimamente ligado a relações sexuais, tendo maior incidência em mulheres que tenham ou tenham tido multiparceiros, que tiveram multipartos vaginais e ao vírus herpes genital. A questão da higiene é de suma importância. Atinge mulheres entre 30 e 50 anos.

Prevenção: O cuidado é evitar relações sexuais com diferentes parceiros. Sempre utilizar preservativo de maneira correta. Verificar verrugas ou feridas genitais. Evitar corrimento genital abundante com dor forte e sangue.

Pode não haver sintomas. Em alguns casos, pode ocorrer sangramento irregular ou dor. Importante fazer semestralmente o exame Papanicolau e tomar vacina contra o HPV.

Câncer de mama

Utilizar todas as estratégias para prevenção do câncer da mama, o de maior prevalência nas mulheres em todo mundo, é um desafio mundial. Estatisticamente 29% de todos tumores no sexo feminino são mamários. Geralmente o diagnóstico é após 40 anos de idade. Os cuidados deverão ser maiores quando há história da doença em parentes de primeiro ou segundo grau com o tumor – como mãe, irmã, mulheres sem filhos, mulheres que não amamentaram e mulheres que tiveram filhos após 30 anos de idade.

Prevenção: Praticar atividades físicas, alimentar-se de forma saudável, manter o peso corporal adequado, evitar consumos de bebidas alcóolicas, amamentar, evitar uso de hormônios sintéticos como anticoncepcionais e terapias de reposição hormonal, evitar sutiãs muito apertados e por longo tempo de uso no dia a dia. Observar presença de secreção mamilar, caroços ou nódulos endurecidos e fixos bem como alterações do aspecto da pele deformada e enrugada. Fazer exame ultrassonografia e Termografia semestralmente.

Câncer de boca

Cada dia um maior número de pessoas apresenta câncer na cavidade oral. Várias estruturas anatômicas podem originar tumores, como  língua, palatos, bochechas, gengivas e osso. Atinge homens e mulheres em quaisquer idades. Está relacionado com hábitos inadequados de vida.

Prevenção: Evitar bebidas e alimentos como sopas quentes e carnes assadas. Bem como bebidas alcoólicas e fumo. Observar posicionamento e tempo da prótese dentária. Escovar os dentes diariamente após refeições e, principalmente, examinar a boca no espelho mensalmente.

Câncer de próstata

O câncer de próstata tem maior prevalência nos homens. Chega a 30% de todos os tumores. A idade é um dos fatores importantes, já que os casos aumentam acima dos 45 anos. História familiar e parentesco de primeiro e segundo grau com a doença (pai, irmão) devem servir de alerta.

Prevenção: Verificar dor ao urinar e graus avançados de dificuldade para urinar assim como a frequência aumentada ao urinar durante a noite. Consulta ao médico urologista deve ser feita anualmente quando acima dos 40, 45 anos e semestralmente depois dos 60 anos.

 

Saúde

Dr. Sergio Munhoz

Um Brasil Grisalho

Em 1940, a expectativa de vida era de apenas 45 anos. As dificuldades eram imensas: era difícil obter combustível como meio de energia, iluminação; havia racionamento de alimentos básicos como arroz, feijão, óleo, sal; o vestuário era utilizado “até acabar”, literalmente, pois a produção era artesanal; o sistema de saúde era precário, com poucos médicos, poucos hospitais; vacinação, tratamento de água e esgoto não existiam. Tudo isso fazia com que a qualidade de vida e expectativa de vida fossem menores.

Na década de 90 a expectativa deu um grande salto: 66 anos.  As condições de vida melhoraram, em parte pelo êxodo rural iniciado ao final dos anos 60. As cidades foram sendo preparadas para atender uma demanda grande de pessoas com suas necessidades básicas. Em 2010, o IBGE constatou que o brasileiro continuava vivendo um pouco mais, 73 anos.  E hoje, em 2019, a expectativa de vida ao nascer é de fantásticos 75 anos!

Mas, com todo este aumento da expetativa de vida, houve um processo natural de envelhecimento da população brasileira. Uma nova geração de pessoas de 60, 70, 80 anos está a viver no Brasil.

Daremos um retrato da situação dos idosos no Brasil: quem são, onde vivem, com quem moram, como é sua saúde e vida.

Continuar Lendo ...

Tipos de Exercícios Funcionais e Como Praticá-los

 

Este artigo é uma continuação sobre Exercícios Funcionais. Para ler a parte 1, clique aqui.

Em primeiro lugar, falaremos sobre os equipamentos funcionais necessários para a prática.

Existem inúmeros equipamentos para tipos de treinamentos funcionais: bolas, bolas medicinais, rolos, cordas, elásticos de diferentes tensões, caixotes. Você deve ser bem orientado para saber quando e como usar cada um destes, do contrário a efetividade do exercício fica comprometida.

Não pense que esses exercícios podem ser realizados apenas dentro da academia; muito pelo contrário! Você pode praticar os exercícios funcionais para emagrecer em sua casa, na praia, em praças e até em parques que possam oferecer um melhor bem-estar a você.

Continuar Lendo ...

Exercícios Funcionais – O que são e sua importância

Você está na melhor idade ou ajuda no cuidado de alguém que está? Falaremos sobre como os exercícios funcionais são bem-vindos em sua rotina. Se sua perda auditiva e visual o prejudicam no relacionamento interpessoal e aumentam o sentimento de vulnerabilidade, mesmo assim podes praticá-los.

Com a lentificação que a idade impõe, são comuns desequilíbrio, fraqueza muscular, ambiente desfavorável, estilo de vida sedentário, permanecer acamado e com dores ou deformidades dos pés, ou sofrer quedas: mesmo assim, ainda podes praticar os exercícios funcionais.

Com a presença de incontinência urinária o idoso diminuirá suas saídas de casa e perderá oportunidades para atividades sociais: aqui, também, os exercícios funcionais são bem-vindos.

Conforme envelhecemos, a preguiça, o desânimo e o cansaço aumentam, diminuindo a vontade de fazermos exercícios. Quem trabalhou mais de trinta anos numa metalúrgica, num escritório de contabilidade, num banco, de vendedor numa loja de sapatos ou roupas, ou quem sabe um profissional liberal, engenheiro, advogado, psicólogo, fonoaudiólogo, enfermeiro ou medico, sabe o que estou falando.

As suas costas doem, e não fazes exercícios nenhum!

A coluna cervical, então, coitada: sofrida! A lombar e a sacral: misericórdia! Mal consegue caminhar, correr. A barriga aumentou. Isso além de possíveis lesões presentes: tendinites, bursites, artroses, artrites, osteoporose, calcificações do tendão de Aquiles, a lista é grande! Mas você pode dizer: não gosto de academia, não tenho condições de investimento.

Agora as informações que você terá são os chamados exercícios funcionais. Os exercícios funcionais são muitos e podem ser classificados de diversas formas. Tais quais exercícios específicos para reabilitações de lesões, há treinamentos funcionais para o auxílio de perda de peso, para melhora do condicionamento físico, incluindo itens como a estabilidade, a coordenação motora e muito mais. Portanto, não é qualquer exercício que terá uma funcionalidade para você.

Continuar Lendo ...
Página 3 de 912345...Próximo »