Dicas de Higiene para pacientes com Alzheimer

Titia foi diagnosticada com a doença de Alzheimer, e agora?

A perda de memória é uma das principais características da doença. Com o passar do tempo, o idoso esquece acontecimentos importantes da sua vida e de pessoas próximas.

Caso real:

Moramos em Manaus Amazonas nos anos 80, 90 e 2000. Meus filhos aguardavam sempre as férias escolares. Optamos, num determinado ano, irmos para Paraíba, passar as férias com primos, tios, vovô. Lembro-me muito bem de uma tia da minha mulher. Já sexagenária, saudável, ativa. Criou 7 filhos no interior da Paraíba. Conversávamos para saber as histórias de vida.

Anos se passaram. Mudamos para João Pessoa, e agora estávamos mais próximos dos parentes, e da tia da minha mulher. Agora ela não morava mais sozinha, uma de suas filhas foi morar com ela. Quando a vi, quase não a reconheci. Não estava mais saudável, e sim muito doente. Aquela atives desaparecera, dando lugar à total incapacidade de agir, totalmente dependente. A fisionomia estava totalmente alterada. A demência na forma da doença de Alzheimer havia se instalado. Restava somente controlar.

Bem: não é surpresa a população envelhecer. No mundo, a cada dia, aumenta a expectativa de vida das pessoas. Por um lado o envelhecimento trará inúmeras alterações, sejam de ordem funcional como dos órgãos vitais – coração, pulmão, fígado -, sejam de ordem degenerativa musculoesquelética, com artrites e artroses, ou ainda de ordem cognitiva, como as doenças degenerativas do componente cerebral, das quais a doença de Alzheimer é a expressão maior, pela incapacidade que produz.

Com certeza você já conhece alguém com Alzheimer. Quem sabe perto da sua casa ou dentro da sua própria família há um doente, algum parente, ou até seu pai ou sua mãe podem estar com a doença.

O que fazer? O primeiro momento é de descredito. De desespero. A pessoa está idosa, no início da sua aposentadoria, e agora poderia passear, descansar, ter uma melhor qualidade de vida.

Um segundo momento é de pensar, raciocinar com a situação instalada, e dizer: o que eu faço agora?

Imediatamente se pensa: devo procurar um profissional para obter as orientações. Tudo que preciso para entender o terrível quadro e suas repercussões. E ajudar.

Foi pensando nestas dificuldades e nestes momentos que o projeto Cuidar dos Pais em Casa – Cdpec – iniciou-se: com objetivo de facilitar para filhos, genros, noras, sobrinhos e netos o acesso a informações científicas, técnicas e dicas práticas para lidar com aquele que até um tempo atrás era independente, ativo, saudável e, hoje, totalmente dependente. E, o pior, com perda da memória.

A memória é algo imprescindível no ser humano. Na realidade, o que nos torna um ser altamente inteligente dos três tempos: passado, presente e futuro. Como pessoas, todos nós precisamos nos cuidar. Em todos os aspectos. A dependência até a adolescência vai desaparecendo gradativamente. Mas o doente, com perda progressiva da memória, com doença de Alzheimer, agora até a sua morte precisará ser cuidado.

E quais são os cuidados iniciais básicos fundamentais?

Vamos falar neste artigo sobre Higiene. Ela preenche uma série de atitudes diárias. Começaremos com a higiene oral.

Higiene Orofacial

Sabidamente a cavidade orofacial é o local que deverá ser diariamente e várias vezes cuidado. Nela temos várias estruturas que necessitam de assistência, como ossos, língua, nervos, local para respirar e deglutir. Examine bem pedindo para abrir bem a boca.

Equipamentos

Escova e creme dentais, prótese dentária.

Nem sempre idosos possuem os seus dentes, aliás muitos já os perderam, usam próteses dentárias, alguns só superiores ou inferiores, mas, uma ampla maioria usa ambas.

Use sempre escovas dentárias macias. As de bebê com cerdas suaves não são traumáticas. Escove bem o palato (céu da boca), as gengivas, as bochechas e especialmente a língua (pode ser utilizado click here um limpador apropriado). Tire todas as pequenas sujeiras que ficam acumuladas.

Para a prótese dentária: use produtos apropriados antibacterianos e, a cada seis meses, vá ao dentista para verificar se precisam ser trocadas.

Lembrem-se de sempre escovar a cavidade oral, a cada pequena, média ou grande refeição, afinal há perda de memória, e estes hábitos de higiene se perderam.

Olhos, ouvido

Os olhos podem acumular secreções, assim como o ouvido. E o idoso com perda de memória não saberá quando limpou e quanto havia de impurezas.

Utilizar colírios suaves e não irritantes evitará que os dedos das mãos os toquem e contaminem.

Muitas vezes, os ouvidos acumulam secreções, ceras, dificultando a boa audição. Limpá-los durante o banho facilita o amolecimento e retirada sem traumatizar.

Banho

Hábitos de higiene são fundamentais para manter uma boa saúde e evitar doenças. É sabido que o idoso nem sempre deseja tomar seu banho diariamente. Reclama que não está sujo. Que não caminhou. Que não trabalhou. Não transpirou. E que o tempo está temperado e não está suado. Assim, algumas dicas podem facilitar:

Horário

Tenha um horário habitual para a hora do banho. Caso o idoso esteja mais desorientado e alterado, dizendo que acabou de tomar seu banho, espere, aguarde um momento. Não brigue, não retruque. Espere um pouco mais e em seguida explique que precisa do banho.

Faça do banho um momento de relaxamento. Regule a temperatura da água. Explique à pessoa que irá tomar banho que a temperatura está morna. Explique passo a passo sobre o banho e sua importância e que será rápido.

Mas atenção: deixe todos os produtos de higiene no banheiro: sabonete, shampoo (ambos devem ser antialérgicos e não irritantes), toalhas e roupas macias e coloque a pessoa sentada debaixo do chuveiro. Portanto: não demore. Seja breve.

E lembre-se para garantir um banheiro seguro é imprescindível, barras de apoio, cadeira para sentar-se, pisos antiderrapantes, pois quaisquer descuidos poderão resultar em quedas e as temíveis fraturas.

Unhas e Cabelos

As unhas crescem na velocidade de 3mm por mês. Durante o dia, no verão entre os homens e em pessoas obesas, o crescimento pode ser mais acelerado. Portanto, semanalmente deve-se apará-las, cuidadosamente.

Os cabelos crescem 1-1,5 cm ao mês. Uma pessoa idosa, doente, com perda da memória poderá acumular secreções, insetos e piolhos se uma boa higiene não for realizada. Cortar os cabelos, mensalmente, faz-se necessário.

Vestimentas

No processo inicial o doente será capaz de vestir-se, se auxiliado. Combine peças que possa escolher. Se avançada a doença, o paciente será incapaz de vestir-se sozinho (já vi muitos andarem nus dentro dos lares).

Assim, as roupas deverão ser macias, leves, antialérgicas e não irritantes, sem botões, fivelas, cintos ou zíper para evitar riscos de acidentes, e trocadas duas vezes ao dia (pela manhã e antes do jantar).

O papel do cuidador é fundamental. Seja um profissional contratado ou alguém da família. A assistência será 24 horas por dia. Por isso, alternar pessoas faz-se necessário.

Cuidadores de pessoas com doença de Alzheimer apresentarem síndrome de Burnout é extremamente frequente. Cuidado para não adoecerem junto com o doente!

Sapatos

Nem sempre doentes com Alzheimer caminham pela casa. A tendência é ficarem mais parados. Na cadeira, no sofá ou mesmo na cama. Calçados deverão ser apropriados. Sapatos que ficam presos aos pés e com solas antiderrapantes são os indicados.

Estas dicas apresentadas no programa Cuidar dos Pais em Casa aos doentes que apresentam degeneração do cérebro e apresentam demência, grave como na doença de Alzheimer, com certeza facilitarão aos cuidadores contratados, ou familiares treinados, uma boa organização diária, e com certeza, uma melhora na qualidade de vida.

 

Afinal, cuidar bem de quem cuidou de você é a melhor maneira de demonstração de amor e gratidão.

Forte abraço

Projeto cuidar dos pais em casa

Dr. Sergio Munhoz