Alimentos Funcionais – parte 1

 

O aumento do percentual de idosos na população geral é fato inquestionável desde as últimas décadas. Este fenômeno se deve especialmente ao incremento na expectativa de vida.  No Brasil, dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística indicam que a população de idosos dobrou nos últimos 20 anos. Certas conquistas tecnológicas da medicina moderna que ocorreram ao longo dos últimos setenta anos, como o desenvolvimento de novas vacinas, antibióticos, quimioterápicos e exames complementares de diagnóstico, além dos avanços na área da assepsia, favoreceram a adoção de medidas capazes de prevenir ou curar muitas doenças até então fatais.

Neste rol de avanços científicos a alimentação passou a ter uma atenção maior. Deixou de ser um ato quase que involuntário para a sobrevivência para ser estudada com maior carinho.

Assim, uma ciência nova foi criada, apenas para cuidar da análise qualitativa e quantitativa dos alimentos. Dentre eles estão os denominados alimentos funcionais. Mas o que são eles?

Alimentos funcionais são alimentos ou ingredientes que oferecem benefícios à saúde, além de suas funções nutricionais básicas. Eles podem, por exemplo, reduzir o risco de doenças crônicas degenerativas, como câncer e diabetes.

O interesse neles é relacionado à qualidade de vida, doenças genéticas, caráter familiar ou mesmo as alterações fisiológicas “normais” da velhice. Não podemos esquecer que cada dia com o envelhecimento e maior tempo de vida muitas doenças estarão presentes, dentre as quais o aumento da pressão arterial, a presença de diabetes, doenças como artrites, artroses, pessoas pós infarto do coração, amputação partes de seus membros, ou mesmo acidentes vasculares cerebrais.

A dúvida de muitas pessoas hoje em dia é o fato de pensarem que os alimentos funcionais funcionam como medicamentos. Não são substitutos para remédios!

Então, para que seus benefícios sejam alcançados, é preciso consumi-los de maneira regular, incluindo principalmente vegetais, frutas e cereais integrais na alimentação. Afinal, grande parte dos componentes ativos estudados se encontra nesses alimentos.

Para quem quer se beneficiar dos alimentos funcionais, é recomendado substituir parte do consumo de carne bovina, embutidos e outros produtos à base de carne vermelha, por soja e derivados, especialmente carne de soja e isolados proteicos de soja ou peixes ricos em ômega 3.

É preciso ter em mente um detalhe fundamental para o funcionamento eficaz dos alimentos funcionais: eles só funcionam quando combinados com uma dieta equilibrada e balanceada. Não adianta utilizar um alimento para controlar o colesterol, por exemplo, se ela não for combinada com uma dieta pobre em gordura saturada e colesterol.

Conheça click here os principais compostos funcionais investigados pela ciência, para que servem e em quais alimentos são encontrados:

1- ISOFLAVONAS

Para que servem?

Ação estrogênica- tem a capacidade de reduzirem os sintomas das menopausas- portanto muito útil para as mulheres acima dos 45 anos, em especial para as que sofrem com os períodos de intenso calor. Também as pesquisas dizem que em muitos casos de câncer poderiam ser evitados.

Onde encontrar: Soja e derivados.

2- PROTEÍNAS DE SOJA

Ajuda na redução dos níveis de colesterol.

Onde encontrar: Soja e derivados.

3- ÁCIDOS GRAXOS OMEGA 3

Ajudam na redução do LDL – colesterol.

Esta letrinha significa e faz parte do conjunto de óleos necessários para nossa vida. Os níveis dele não podem ultrapassar os valores recomendados.

Também apresentam uma resposta na ação anti-inflamatória. A partir de uma idade os processos degenerativos do corpo, o processo de envelhecimento e muitas doenças produzirão substâncias inflamatórias. Compostos contendo ácidos graxos e ômega 3 foram satisfatoriamente analisados e produziram resposta importante na inflamação. O resultado são menos dores no corpo.

Outra importante contribuição e indispensável é para o desenvolvimento do cérebro e da retina de recém-nascidos.

Onde encontrar: Peixes marinhos como sardinha, salmão, atum, anchova.

4- ÁCIDO a- LINOLÊNICO

Estimula o sistema imunológico.

As doenças degenerativas e especialmente os cânceres estão diretamente implicados na diminuição da atividade imunológica. As vacinas que tomamos quando crianças, e depois de adultos, precisam ser complementadas. Os alimentos que contém ácido a linolênico possuem capacidade de melhorar nossa imunidade.

Também tem ação anti-inflamatória e assim ajudam a diminuir as dores do corpo.

Onde encontrar: Óleos de linhaça, soja; nozes e amêndoas.

5- CATEQUINAS

Reduzem a incidência de certos tipos de câncer. Difícil afirmar se uma substância alimentar estará reduzindo este ou aquele tipo de câncer, mas o que está comprovado é que pessoas que passam a consumir substâncias que possuem catequinas terão menor possibilidade de terem câncer.

As catequinas também reduzem o colesterol.

Finalmente, alimentos que possuem altas concentrações de catequinas, estimulam o sistema imunológico e dão maior resistência ao organismo. Afinal, um corpo físico com 50, 60, 70 ou mais 80 anos, já sofreu muitos “embates” bacterianos, virais e fúngicos, e precisa continuar resistindo à esta batalha microbiana.

Onde encontrar: Chá verde, cerejas, amoras, framboesas, mirtilo, uva roxa, vinho tinto.

 

No próximo artigo continuaremos a falar sobre os alimentos funcionais e seus benefícios.

Saúde!