Alimentação e envelhecimento – Hábitos alimentares entre os idosos

Áreas como a da Nutrição, Dietética, Endocrinologia e outras afins estão evoluindo muito no que diz respeito aos estudos sobre a nutrição e os alimentos mais indicados para pessoas na terceira idade. Com o tempo, o corpo muda e novas necessidades passam a ser mais urgentes em termos de alimentação. E quando há doenças preexistentes, os cuidados nutricionais são ainda mais necessários. Conheça algumas dicas para melhorar a alimentação dos idosos cuidados em casa e de toda a família!

Alimentação na terceira idade

Sabemos que a terceira idade inicia-se em torno dos 60 anos de idade, mas não ficamos mais velhos apenas por chegar aos 60: muitos fatores influenciam na velocidade e intensidade do processo de envelhecimento de cada um. O meio ambiente, estilo de vida, hábitos nocivos (como fumar, usar drogas e não respeitar os limites do corpo, por exemplo), e também o tipo de alimentação, a prática de atividade física, doenças preexistentes (como depressão, ansiedade e estresse, por exemplo), entre outros fatores.

Desta forma, dar atenção especial à alimentação já garante muita qualidade de vida nesta idade, assim como previne a pessoa de diversas doenças. No entanto, com o passar dos anos, há mudanças físicas que afetam a nutrição e até mesmo as preferências alimentares. Vejamos alguns destes fatores:

Trato digestório: Entre os idosos, os intestinos perdem força muscular, o que pode levar à constipação. Há outros problemas ainda que são muito comuns nesta idade, como a inflamação do estômago, crescimento bacteriano anormal e grande redução do débito de ácido prejudicam a digestão e absorção. Isso leva à recusa de certos alimentos.

Composição corporal: Os idosos passam a perder peso, principalmente massa corporal magra levam a necessidades diminuídas de calorias e resulta em baixa resistência muscular. A boa alimentação de proteínas nobres (carnes brancas, carnes vermelhas magras, proteínas vegetais, peixes e aves) juntamente com exercícios regulares, podem ajudar a evitar o problema.

Órgãos sensitivos: A diminuição dos sentidos do olfato e paladar podem reduzir o apetite; visão diminuída pode dificultar a compra e a preparação dos alimentos.

Hormônios: Problemas metabólicos são comuns entre idosos, mas não precisa ser assim. O pâncreas secreta menos insulina, e as células tornam-se menos responsivas, causando metabolismo anormal de glicose. É por isso que a diabetes é muito comum entre os idosos – veja nesta matéria tudo sobre o problema.

 

Alimentar-se bem é fundamental para a manutenção de todos os nossos processos vitais – em qualquer idade. Os alimentos nos fornecem a energia necessária para a manutenção destes processos. Desta forma, uma dieta adequada deve considerar todos os tipos de alimentos da pirâmide alimentar, excetuando-se aqueles que são contraindicados pelos médicos em cada caso – eis a importância de consultar um médico com seu idoso antes de fazer mudanças alimentares mais profundas. Devem ser inseridas na alimentação as proteínas, as gorduras, as vitaminas, os sais minerais, as fibras e também a água. Todo alimento possui vários nutrientes e estes nutrientes exercem diferentes funções no organismo. Nenhum deve ser eliminado da dieta, mas podem ocorrer substituições sempre por indicação médica, caso o idoso tenha restrições a certos alimentos.

alimentação em idosos

 

Funções dos alimentos

Para melhorar o feitio dos alimentos, é importante entender a função de cada tipo. Os alimentos têm três funções principais:

 

  • Função Energética: Fornecer energia aos diversos processos do corpo – como falar, respirar, andar, funcionamento dos órgãos, etc. Possuem maiores quantidades de gorduras e carboidratos – como batata, arroz, pão, massas, aveia, derivados do leite, doces, açúcares, etc. Alguns destes alimentos devem ser consumidos moderadamente, evitando assim a obesidade, mas não devem ser eliminados da dieta.

 

  • Função Construtora: Fornecer condições de manutenção e construção de diferentes partes do corpo, como tecidos, minerais, capacidade de cicatrização, etc. São os mais completos em proteínas, que click here combatem doenças e reconstroem a massa magra e outras estruturas – como ovos, carnes, feijão, ervilha, lentilha, leite, soja, etc.

 

  • Função Reguladora: Oferecem subsídios para a digestão e absorção dos nutrientes, fortalecer o sistema imunológico, permitir o bom funcionamento intestinal, proteger a visão, pele e dentes. Os alimentos reguladores são fontes de vitaminas, minerais e fibras – como pepino, folhas verdes, manga, melancia, brócolis, couve, cenoura, etc.

 

Evitando alimentos nocivos

Alguns alimentos podem oferecer malefícios ao ser humano, ainda mais quando idoso. Em alguns casos, os vilões nem são os alimentos, mas os hábitos ruins que a pessoa tem. No caso da alimentação da terceira idade, os horários regulares devem ser mantidos, oferecendo ao idoso três refeições principais e lances a cada duas ou três horas, e líquidos a cada hora ou sempre que ele quiser (deixe à disposição). Pular refeições em qualquer idade é bastante nocivo, pois faz com que o corpo estoque gordura, o que colabora para o aumento do peso.

Uma atenção especial deve ser dada ao tipo de alimento oferecido ao idoso: evite alimentos demasiadamente processados ou industrializados, pois são ricos em gorduras, conservantes, corantes, açúcares e sódio, pois diminuem a absorção de nutrientes pelo corpo.

Devem evitados ainda as bebidas alcoólicas, o excesso de açúcares, e os alimentos refinados – como farinhas brancas, por exemplo. Possuem poucos nutrientes para esta fase da vida. É importante ainda que o idoso tenha de 8 a 10 horas de sono por dia e descanse sempre que sentir necessidade.

 

Regra de ouro: Naturais, Orgânicos, Saudáveis e Hidratação

Veja alguns tipos de alimentos indicados para qualquer idade, e principalmente para idosos e garanta mais qualidade no cardápio de toda família:

 

  • Alimentos naturais: São aqueles que quase não foram processados ou são mais livres de ativos industrializados – como conservantes, corantes, emulsificantes, entre outros.

 

  • Alimentos orgânicos: São mais caros e nem sempre acessíveis para todas as classes sociais. No entanto, estes alimentos estão cada vez mais baratos e abundantes. São produzidos sem agrotóxicos e insumos nocivos em todas as fazes de sua produção. Atualmente, há todos os tipos de alimentos em sua versão orgânica – de carnes, frutas, verduras a bebidas, como vinhos e sucos.

alimentação de idosos

  • Frutas da época: São mais baratas e abundantes, sendo possível variar as frutas o ano todo. Conforme indicação de um nutricionista ou médico, escolha frutas da época da sua região e insira na alimentação dos idosos que moram em sua casa. A família toda pode se beneficiar com estes alimentos!

 

  • Consumo de água: É indicado que o idoso consuma água ou líquidos hidratantes saudáveis de hora em hora ou a cada duas horas, pois a desidratação é um mal muito comum entre idosos. Os especialistas indicam o consumo de 1 a 2 litros de água por dia nesta fase da vida.

 

Dicas de Leitura

E sempre bom sabermos mais! Indicamos a leitura deste material em PDF e inteiramente gratuito, produzido pelo Ministério da Saúde para profissionais cuidadores e cuidadores familiares de idosos. Acesse no link a seguir: Alimentação saudável para a pessoa idosa – Um manual para profissionais de saúde.

Indicamos ainda a leitura do e-book exclusivo do site Cuidar dos pais em casa. É um material gratuito que você poderá baixar hoje mesmo em seu computador e garantir que o seu idoso tenha os melhores cuidados e qualidade de vida. Este material foi escrito e produzido pelo Dr. Sérgio Munhoz.

Para ter acesso ao e-book, clique neste link e faça o seu cadastro. Você receberá no seu e-mail um link para o material gratuito, que com certeza irá ajudá-lo a oferecer o melhor atendimento e apoio ao seu pai ou mãe idoso (ou outro parente idoso) em casa. Confira!

 

Veja Também: 10 cuidados especiais para idosos com diabetes