15 filmes sobre cuidados com idosos em casa que você precisa assistir

O cinema sempre contemplou o tema da velhice e do processo de

envelhecimento em suas produções. Há diversos filmes sobre o tema, ora

encarado de forma divertida e engraçada, ora de modo tocante e com emoção.

Aproveitando que estamos na sexta-feira, que tal juntar a família ou assistir

sozinho mesmo alguns filmes com história interessantes sobre a velhice?

Confira 15 indicações de filmes que abordam este tema!

1) Antes de partir

Este filme, estrelado por Morgan Freeman e Jack Nicholson, conta a história de

dois idosos muito diferentes que se encontram em um quarto compartilhado de

hospital, ambos com um tipo de câncer. Mesmo sendo muito diferentes – um é

um milionário solitário e temperamental e o outro um dedicado e simplório pai

de família – decidem fazer uma viagem pelo mundo, aproveitando os dias que

ainda lhe restam, mesmo com uma doença terminal. Há muitas cenas

emocionante e reflexivas sobre a condição da doença e da velhice. O final é

emocionante. Vale a pena conferir!

2) Gran Torino

Um emocionante filme estrelado e dirigido por Clint Eastwood, mostra um idoso

aposentado e infeliz, que mora sozinho e não tem o apoio da família, em um

controverso momento da sua vida. O bairro em que mora sempre fora um típico

subúrbio familiar americano, que agora tem se transformado em um bairro

étnico, com diversos problemas com gangues de imigrantes orientais. A

xenofobia, por parte do velho operário e veterano de guerra, dá lugar à

aproximação e empatia, e ele se envolve com os conflitos de violência local.

3) Conduzindo Miss Daisy

Jessica Tandy é uma idosa temperamental e teimosa, que quer se manter

independente, mesmo que seus filhos achem que ela não tem mais condições

de fazer tudo o que gostaria. Eles contratam um motorista para que este a leve

onde ela quer, com total segurança. Miss Daisy e o motorista Hoke entram em

conflito várias vezes, até que ambos começam a se relacionar e a aprender

lições de vida um com o outro. A sua amizade dura 25 anos. O filme foi

baseado em um livro premiado com um Politzer.

4) Meu pai, uma lição de vida

Nesta emocionante história, o executivo John Tremont (Ted Danson) descobre

que sua mãe Bette Tremont (Olympia Dukakis) desmaiou e teve que ir para o

hospital. John assume então a responsabilidade de cuidar de seu pai, Jake

Tremont (Jack Lemmon) e ensiná-lo a reconquistar sua independência. O filme

relata a aproximação de pai e filho no momento em que um mais precisa do

outro.

5) Cocoon

O envelhecimento também está retratado em histórias de ficção científica. É o

caso do filme que foi sucesso na década de 1980 Cocoon. Na história,

extraterrestres vêm a Terra com a missão de recuperar casulos com seres de

outro planeta. A piscina em que se encontram os casulos, no entanto, é

utilizada por três idosos moradores de um asilo, que logo passam a ter uma

disposição fantástica. Porém, quando descobrem a origem da sua juventude

um dilema surge na vida deles.

6) Diário de uma paixão

Duke e Allie vivem em uma clínica geriátrica e ele conta para ela, que sofre de

Alzheimer, a história de amor que os dois vivem desde 1940, com base em seu

diário. É uma história de amor emocionante e relata as complexidades de quem

sofre da Doença de Alzheimer. Allie não reconhece mais Duke e mesmo assim

todos os dias ele a encontra para contar sobre a vida que os dois viveram.

7) Cartas para Julieta

Este filme não fala da velhice em si, mas dos amores da juventude que podem

ser revividos, mesmo quando tudo parece estar conspirando contra este

reencontro, inclusive a idade. Em Verona, na Itália, a jovem Sophie se junta a

um grupo de voluntárias que responde cartas que outras pessoas escrevem ao

casal desafortunado de Shakespeare. Uma das mensagens foi escrita em 1957

por Claire, uma idosa que, há 50 anos, desistiu de seu grande amor Lorenzo.

Juntas, a jovem e a idosa, vão buscar o amor de Claire.

8) Amor

Este filme aborda o tema do amor na velhice, que concorreu ao Oscar de 2013.

Georges e Anne e um casal de professores de música aposentados. Quando

ela adoece após um click here derrame, o amor deles é colocado à prova.

9) Up – Altas Aventuras

Este filme, muito indicado para ser assistindo entre vovôs e seus netos, é uma

animação, que conta a história de Carl Fredricksen, um teimoso vendedor de

balões de 78 anos. Um dia, ele decide amarrar milhares de balões a sua casa e

levantar voo. Porém, Russell, um escoteiro de oito anos, gordinho e muito

dedicado, segue viagem junto com ele.

10) Baleias de agosto

Este filme estreado por Bette Davis, de 1987, retrata a história de duas irmãs

que vivem juntas numa casa ampla no rochoso litoral do Maine, onde

costumavam passar o verão desde a infância, sempre de olho nas baleias que

aparecem em agosto. Agora Libby está cega e Sarah precisa cuidar dela.

Ambas vivem de recordações da família, dos maridos e dos amigos. O sr.

Maranov (Vincent Price), um velho nobre russo fugido da Revolução de 1917,

passa a visitá-las, mas é destratado por uma das irmãs, que teme que o

homem quer apenas roubar-lhes. O filme é repleto de lembranças e passagens

reflexivas.

11) O curioso caso de Benjamin Button

A história se passa em Nova Orleans, em 1918. Benjamin Button (Brad Pitt)

nasceu de forma incomum, com a aparência e doenças de uma pessoa em

torno dos oitenta anos mesmo sendo um bebê, lembrando a condição de

crianças que sofrem de Progéria (ou Síndrome de Hutchinson-Gilford).

Contudo, ao invés de envelhecer com o passar do tempo, Button rejuvenesce.

Quando ainda criança ele conhece Daisy (Cate Blanchett), da mesma idade

que ele, por quem se apaixona. É preciso esperar que Daisy cresça, tornando-

se uma mulher, e que Benjamin rejuvenesça para que, quando tiverem idades

parecidas, possam enfim se envolver. O filme faz refletir sobre a aparência,

sobre a relação do homem com o tempo, sobre o aprendizado em diferentes

épocas de vida e muito mais.

12) Viver

Neste clássico de Akira Kurosawa de 1957, Kanji Watanabe (Takashi Shimura)

é um veterano burocrata, que há décadas trabalha diariamente fazendo nada

na prefeitura. Ao descobrir que está com câncer no estômago, ele decide dar

um sentido à sua até então desperdiçada vida. Ele encontra companhias na

noite e durante o dia, mas se realiza apenas quando realmente faz a diferença

em seu trabalho. Ideal para quem gosta de clássicos em preto e branco.

https://www.youtube.com/watch?v=Hv5MFgpgL_k

13) E se vivêssemos todos juntos?

Um filme divertido e cativante, que conta a história de Annie (Geraldine

Chaplin), Jean (Guy Bedos), Claude (Claude Rich), Albert (Pierre Richard) e

Jeanne (Jane Fonda), que são melhores amigos há mais de quatro décadas.

Enquanto os dois primeiros e os dois últimos são casados, o do meio é um

tremendo solteirão convicto, que não se cansa de aproveitar a vida. Quando a

saúde deles começa a piorar e o asilo se apresenta como solução para um

deles, surge a ideia de todos morarem juntos. Mas conflitos e situações

inusitadas começam a surgir com esta convivência.

14) O exótico Hotel Marigold (1 e 2)

São dois filmes sequenciais. No primeiro, no início da história, os aposentados

e idosos Muriel (Maggie Smith), Douglas (Bill Nighy), Evelyn (Judi Dench),

Graham (Tom Wilkinson) e mais três amigos decidem curtir a aposentadoria

em lugar diferente: em um hotel na Índia. Encantados com o exotismo do local

e com imagens do recém restaurado Hotel Marigold e são recebidos pelo

jovem sonhador Sonny (Dev Patel). Mas o hotel não é nem de longe como fora

apresentado aos viajantes. Mesmo assim, o cenário dá origem a novas

histórias, romances e sonhos.

15) A balada de Narayama

O filme conta a história de uma pequena cidade japonesa segue uma tradição:

aquele que completa 70 anos deve deixar a vila e ir até o topo de uma

montanha para encontrar a morte. Quem se recusa a cumprir a regra traz

desgraça para sua família. Orin (Sumiko Sakamoto) tem 69 anos e no inverno

chegará sua vez de subir o monte. Mas sua maior preocupação no momento é

encontrar uma esposa para seu filho mais velho Tatsuhei (Ken Ogata). Há uma

versão cinematográfica da década de 1950 e uma de 1983.

Veja também: Depressão no Idoso – uma oportunidade para amar (mais)