12 dicas sobre administração de medicamentos para leigos

Quando temos idosos em casa, é preciso ter a atenção redobrada com medicamentos. Na maioria dos casos, quando o idoso tem que ser medicado continuamente, é o cuidador (filho, filha ou responsável) que tem que garantir a aplicação dos remédios. Mas não só os horários certos e as dosagens que contam na manutenção dos medicamentos – é preciso garantir que o estoque nunca falte, que a conservação seja adequada, que o idoso de fato tome o medicamento, que faça visitas regulares para verificar a dosagem ou o avanço/declínio da doença, etc.

 

Muitas pessoas leigas se assustam e sentem medo na hora de medicar outra pessoa, no caso, o idoso. Mas com alguns truques de organização e manipulação, esta pode ser uma atividade comum e sem riscos. Um pouquinho de atenção e boa vontade fazem toda a diferença! Vejamos a seguir 12 dicas de administração de medicamentos que toda família ou responsável pelo idoso tem que ter.

1) Converse com o médico e com outros profissionais da saúde

 

Antes de começar a ministrar medicamentos em seu idoso. Converse bastante com o médico responsável e compreenda melhor a doença e suas consequências. Tire todas as suas dúvidas e compreenda como o medicamento funciona no organismo e quais são os efeitos esperados.

 

Todo medicamento – principalmente os de uso contínuo – têm que ser indicados pelo médico. Este profissional também irá avaliar com o tempo qual a progressão da doença. Nem sempre um novo medicamento tem efeito imediato, mas a dosagem recomendada deve ser respeitada em todos os casos.

 

Além disso, cada idoso, ou cada pessoa, reagem de um modo ao medicamento e existe uma diferença grande entre idade cronológica e idade biológica – nem sempre a idade biológica reflete as características que a pessoa possui para a sua faixa etária. A absorção, a distribuição no organismo, o metabolismo e a própria eliminação das substâncias variam muito de pessoa para pessoa.

 

Desta forma, ao compreender bem a doença e saber lidar com o uso do medicamento conforme as indicações médicas, fica mais fácil manter um regime simples quanto à sua aplicação – quanto mais simples, melhor.

 

Neste material produzido pela Prefeitura de São Paulo há outras dicas para você conferir sobre a aplicação de medicamentos a idosos.

 

2) Crie uma agenda de medicação

 

Os horários fazem muita diferença na hora do medicamento resultar em benefícios para os idosos. Procure dar o medicamento sempre nos horários indicados e sempre nos mesmos horários. Se há mais de um medicamento e não pode coincidir os horários, respeite.

 

Atualmente, há aplicativos interessantes que ajudam a lembrar o horário certo de aplicação da medicação. A maioria destes recursos são gratuitos. Mas colocar esta pendência na agenda comum, agenda eletrônica ou mesmo em um recado na geladeira, por exemplo, é muito importante. Se há vários medicamentos em horários diferentes, uma tabela ou planilha pode ser útil. Se você divide a responsabilidade de aplicar o medicamento ao idoso com alguém, todos os envolvidos precisam estar cientes dos horários e das responsabilidades de cada um. Veja qual a forma mais eficiente para organizar os medicamentos e aplicá-los sem falha.

 

3) Conheça bem o medicamento e seus efeitos

 

Leia bem a bula dos medicamentos e saiba o que esperar do efeito do remédio no idoso. Veja ainda as reações adversas que podem ocorrer – verificando comportamentos fora do comum ou reações nocivas quando aplicado o medicamento. Conheça bem todas as situações e informe sempre o médico de qualquer alteração no quadro do idoso.

 

4) Mantenha os medicamentos em suas caixas originais

 

Mantenha os medicamentos em suas embalagens originais e não descarte as bulas. Coloque todos os medicamentos dentro de uma caixa transparente (de preferência), para favorecer a visualização do conteúdo. Assim fica mais fácil verificar o estoque dos medicamentos e os que estão com prazo de validade próximo.

 

5) Quanto aos medicamentos de ingestão, veja se o idoso consegue engolir

 

Nem todos os idosos conseguem engolir os seus medicamentos e muitos são em drágeas, cápsulas e comprimidos. Considere click here triturar ou espedaçar o medicamento e misturar com um pouco de água para ser mais fácil o consumo. Nem todos os medicamentos podem ser partidos ou diluídos em água. Converse sobre outras possibilidades com um farmacêutico ou médico, pois há casos de baixa reação e até vômito.

 

6) Medicamentos injetáveis e seus cuidados

 

Muitas pessoas ficam assustadas e temerosas em aplicar medicamentos injetáveis. Realmente, é preciso ter um pouco de técnica para aplicar uma injeção subcutânea de medicamentos – é o que ocorre quando o idoso, por exemplo, é diabético. O primeiro passo é compreender que é importante fazer rodízio de locais nas aplicações, evitando partes mais sensíveis, regiões com edemas (inchaços), etc. Isso evita também o acúmulo de gordura irregular. Alternes os braços, por exemplo, se a injeção for no braço. Converse com um enfermeiro sobre os métodos mais adequados.

 

7) Não reaproveite o medicamento e descarte o que não serve mais

 

Usou luvas, seringas, algodão e outros acessórios? Descarte-os de forma adequada – jamais no lixo comum ou vaso sanitário. Não reaproveite também os medicamentos indicados para o idoso para outros fins, mesmo quando não são mais necessários – em farmácias e postos de saúde há coletores de medicamentos vencidos ou em desuso.

 

8) Tenha em mãos tudo o que precisa

 

Organize-se para ter em mãos tudo o que precisa para fazer a aplicação de medicamentos – seja horais, injetáveis, pomadas, etc. Prepare os materiais esterilizados, descartáveis ou alimentos ou bebidas que precisem ser dados em conjunto. Esta é uma forma útil de não deixar passar erros e evitar a bagunça. Lave sempre as mãos antes e depois de medicar o seu idoso.

 

9) Utilize organizadores de medicamentos em saídas e viagens

 

Se o idoso tem atividades fora de casa ou se for viajar, é importante levar todos os seus medicamentos, ainda mais os contínuos e controlados. Tenha sempre cópias das receitas para em caso de perda ou emergência poder comprar os medicamentos. Utilize as caixinhas com divisórias com os dias da semana e horários grifados, pois eles ajudam a lembrar dos medicamentos.

 

10) Converse com o restante da família sobre os cuidados com os idosos

 

Quando a responsabilidade pela medicação é dividida, converse sempre com os envolvidos e com a família sobre quais são os medicamentos a serem aplicados, os horários, fale das reações adversas e do estado de saúde do idoso. Na sua falta, o papai ou a mamãe não fica desamparado.

 

11) Não faça mais nada enquanto estiver aplicando o medicamento

 

Tire o tempo necessário para dar a atenção que o idoso precisa na sua medicação. Não faça várias coisas ao mesmo tempo e dedique-se apenas à aplicação dos medicamentos. Observe as reações do idoso ao ingerir. Esteja à disposição caso ele necessite de auxílio.

 

12) Seja paciente e amoroso

 

Nem sempre é fácil para o idoso consumir o seu medicamento. Em muitos casos, o idoso até já tomou aversão pela medicação ou mesmo se recusa a tomá-la. Seja paciente, gentil e amoroso com quem está em uma fase bem avançada de velhice e nem sempre consegue compreender que o remédio é para evitar consequências ruins. Converse, mantenha o diálogo ativo e seja dedicado com o seu idoso!

 

Conheça o Programa Cuidar dos pais em casa

 

As informações que acabou de ler são uma exclusividade do Programa Cuidar dos pais em casa, uma iniciativa do Dr. Sérgio Munhoz para aqueles que querem proporcionar os melhores cuidados e assistência aos pais idosos em casa. Ainda não conhece o programa? Veja este vídeo do Dr. Sérgio Munhoz:

Conheça também o e-book exclusivo do site Cuidar dos pais em casa, um material gratuito que você poderá baixar hoje mesmo em seu computador e garantir que o seu idoso tenha os melhores cuidados e qualidade de vida. Este material foi escrito e produzido pelo Dr. Sérgio Munhoz.

 

Para ter acesso ao e-book, clique neste link e faça o seu cadastro. Você receberá no seu e-mail um link para o material gratuito, que com certeza irá ajudá-lo a oferecer o melhor atendimento e apoio ao seu pai ou mãe idoso (ou outro parente idoso) em casa. Confira!

 

Veja Também: 10 cuidados especiais para idosos com diabetes